The Implementation of Criminal Compliance as a Criminal Policy to Combat Corruption
PDF

Keywords

Criminal Compliance
Criminal Law
Criminal Policy
Corruption

How to Cite

Corneau, J. A. (2023). The Implementation of Criminal Compliance as a Criminal Policy to Combat Corruption. Journal of Law and Corruption Review, 5(00), e047. https://doi.org/10.37497/CorruptionReview.5.2023.47

Abstract

The systemic corruption that exists in Brazil, in the public and private spheres, is one of the biggest challenges of the criminal justice system of the last decade in the country. The way to combat economic crimes is a major challenge for the criminal sciences, where, in the last decade, the legislator began to adopt alternative methods, such as the use of compliance programmes to prevent these crimes. Thus, it is the objective of this work to analyse whether criminal compliance could be adopted as a new form of criminal policy in the fight against corruption. It is concluded that there is a need to establish a culture of ethics and integrity in public and private institutions in Brazil, changing the course of the criminal policy of repression and prevention of corruption.

https://doi.org/10.37497/CorruptionReview.5.2023.47
PDF

References

Abboud, G. (2019). Programas de compliance e a proteção do mercado: o combate à corrupção e à deslealdade concorrencial. Revista dos Tribunais Online, (1007), 37-64.

Abboud, G. (2011). O mito da supremacia do interesse público sobre o privado: a dimensão constitucional dos direitos fundamentais e os requisitos necessários para se autorizar restrição a direitos fundamentais. Revista dos Tribunais Online, (907), 61-119.

Antonietto, C; & Rios, R. S. (2015). Criminal compliance: Prevenção e minimização de riscos na gestão da atividade empresarial. Revista Brasileira de Ciências Criminais, 23 (114), 341-375.

Assumpção Silva, F. de A., & Moraes, C. A. (2021). Mapping Cases of Corruption by Civilian Public Agents in the Executive Branch of the Federal Government: An Exploratory Descriptive Study . Journal of Law and Corruption Review, 3(ssue), e055. https://doi.org/10.37497/CorruptionReview.3.2021.55

Azevedo, R. G. de; & Azevedo, T. P. de. (2008). Política Criminal e Legislação Penal no Brasil: histórico e tendências contemporâneas (Cap. 3, pp. 49-63). Porto Alegre: Livraria do Advogado.

Beccaria, C. (2015). Dos delitos e das penas (2. ed.). São Paulo: Hunter Books.

Boldt, R. (2020). Maxiprocessos criminais, corrupção e mídia: uma análise a partir da operação lava jato. Revista Brasileira de Direito Processual Penal, 6 (3), 1209-1237.

Bottini, P. C; Rizzo, B. D; & Rocha, M. (2018). Algumas linhas sobre compliance criminal. In R. V. B. Cueva; A. Frazão (Coord.). Compliance: perspectivas e desafios dos programas de conformidade (pp. 381-395). Minas Gerais: Fórum.

Bottini, P. C. (2019). Lavagem de dinheiro. São Paulo: Revista dos Tribunais.

Burke, A. (2020). Crimes de colarinho branco um desafio ao direito processual penal contemporâneo. Revista de Direito Penal e Política Criminal, 8 (1), 201-216.

Cacicedo, P. (2017). Democracia e processo de criminalização da corrupção no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Criminais, 25 (128), 409-430.

Callegari, A. L; Dias, P. T. F.; & Zaghlout, S. A. As operações de combate à corrupção no Brasil e o impacto nas ciências criminais. RDP, 17 (93), 265-291.

Castilhos, T. O. de. (2021). Assessing Legislative Innovation and its Impact on Corruption Control and Constitutional Rights: Advancements and Setbacks. Journal of Law and Corruption Review, 3(ssue), e062. https://doi.org/10.37497/CorruptionReview.3.2021.62

Cueva, R. V. B. (2018). Funções e finalidades dos programas de compliance. In R. V. B. Cueva; A. Frazão (Coord.). Compliance: perspectivas e desafios dos programas de conformidade (pp. 53-69). Minas Gerais: Fórum.

Filgueiras, F. (2009). A tolerância à corrupção no Brasil: uma antinomia entre normas morais e política social. Opinião Pública, 15(3), 386-421.

Frazão, A; & Medeiros, A. R. M. (2018). Desafios para a efetividade dos programas de compliance. In R. V. B. Cueva; A. Frazão (Coord.). Compliance: perspectivas e desafios dos programas de conformidade (pp. 71-102). Minas Gerais: Fórum.

Furtado, L. (2012). As raízes da corrupção: estudos de casos e lições para o futuro. Tese de Doutorado, Universidade de Salamanca, Salamanca, Espanha.

Giani, J. A., & Luísa de Oliveira, A. (2020). Enhancing Ethics and Combating Corruption: The Role of Compliance Programs in Healthcare. Journal of Law and Corruption Review, 2(ssue), e066. https://doi.org/10.37497/CorruptionReview.2.2020.66

Gloeckner, R. J; & Silveira, F. L. (2020). A transnacionalização da corrupção e a instrumentalização política do processo penal. Revista Brasileira de Direito Processual Penal, 6(3), 1135-1174.

Gonçalves, V. C; & Martini, S. R. (2019). Ressignificando o crime de corrupção, o seu controle e os seus efeitos. Revista do Programa de Pós-Graduação em Direito da UFBA, 29(2), 108-123.

Innerarity, D. (2017). A política em tempos de indignação: a frustração política e os riscos para a democracia (Tradução: João Pedro George). Rio de Janeiro: Leya.

Mairal, H. A. (2018). As raízes legais da corrupção: ou como o direito público fomenta a corrupção em vez de combatê-la (Tradução: Susan Behrends Kraemer). São Paulo: Contracorrente.

Mendes, S. da R; & Souza, A. C. B. (2020). O acordo de não persecução penal e o paradigma da prevenção no enfrentamento à corrupção e à macrocriminalidade econômica no Brasil: novas alternativas ao modelo punitivista tradicional. Revista Brasileira de Direito Processual Penal, 6(3), 1175-1208.

Nieto Martín, A. (2013). La privatización de la lucha contra la corrupción. Revista Penal México, 2(4), 133-143.

Nieto Martín, A. (2022). Da ética pública ao public compliance: sobre a prevenção da corrupção nas administrações públicas (Cap. 1, pp. 36-58). São Paulo: Tirant lo Blanch.

Olim, L. R. D., & Carvalho, A. N. P. (2022). Promoting Accessibility and Inclusion: Analyzing Good Practices in Accessible Tourism in the Autonomous Region of Madeira. Journal of Law and Corruption Review, 4(jcreview), e061. https://doi.org/10.37497/CorruptionReview.4.2022.61

Ruivo, M. A. (2011). A criminalidade contemporânea e a fraude na gestão. Porto Alegre: Livraria do Advogado.

Saad-Diniz, E. (2018). Brasil v. Golias: os 30 anos da responsabilidade penal da pessoa jurídica e as novas tendências em compliance. Revista dos Tribunais, (988).

Saavedra, G. (2011). Reflexões iniciais sobre criminal compliance. Boletim IBCCRIM, 18(218).

Silveira, R. de M. J; & Saad-Diniz, E. (2012). Criminal compliance: os limites da cooperação normativa quanto à lavagem de dinheiro. Revista de Direito Bancário e do Mercado de Capitais.

Silveira, R. de M. J; & Saad-Diniz, E. (2015). Compliance, direito penal e lei anticorrupção. São Paulo: Saraiva.

Sieber, U. (2001). Programas de “compliance” em el Derecho Penal de la empresa: uma nueva Concepción para controlar la criminalidade económica. Lima: Fondo.

Simonsen, R. (2018). Os requisitos de um bom programa de compliance. In R. V. B. Cueva; A. Frazão (Coord.). Compliance: perspectivas e desafios dos programas de conformidade (pp. 105-126). Minas Gerais: Fórum.

Souza, L. A. de; & Pinto, N. R. (2021). Criminal compliance. (Vol. 4). São Paulo: Revista dos Tribunais.

Sutherland, E. (2015). Crime de colarinho branco: versão sem cortes (Tradução: Clécio Lemos). Rio de Janeiro: Revan.

Viol, D. M. (2021). Programas de integridade e combate à corrupção: aspectos teóricos e empíricos da multiplicação do compliance anticorrupção no Brasil. São Paulo: Almedina.

Zaffaroni, E. R. (2007). O inimigo no Direito Penal (2. ed.). Rio de Janeiro: Revan.

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Downloads

Download data is not yet available.